ATENDER, SATISFAZER E FIDELIZAR É O NOSSO GRANDE OBJETIVO

Banco Central mantém Selic no menor nível da história

publicado: 12/12/2018 19h54, última modificação: 13/12/2018 11h29


Taxa foi mantida em 6,5% ao ano pela sexta vez consecutiva. Banco Central vê inflação controlada e País em crescimento.

ela sexta vez consecutiva, o Banco Central manteve a taxa básica de juros (Selic) inalterada em 6,5% ao ano, o menor nível histórico. A decisão foi tomada nesta quarta-feira (12) por unanimidade. Essa foi a última reunião do ano e somente em fevereiro haverá uma nova reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), grupo formado pela diretoria do BC.

Queda da SelicSegundo o comunicado divulgado após a decisão, a inflação continua em níveis apropriados ou confortáveis. O texto lembra que o mercado financeiro projeta um cenário otimista para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) nos próximos anos, sempre com a taxa dentro da meta perseguida pelo Banco Central.

Para o Banco Central, a economia brasileira também tem melhorado e mostra uma recuperação gradual. Afirma também que a continuidade das reformas econômicas é essencial para a inflação continuar baixa no médio e longo prazos.

Como funciona o Copom
A evolução da taxa básica de juros (Selic) é decidida pela diretoria do Banco Central em reunião complexa, fechada, com grande volume de informações. Qualquer definição sobre a queda, manutenção ou aumento dos juros no País depende de sete diretores e do presidente da instituição. Somente eles podem votar para definir a taxa.

O encontro que acontece com a diretoria do Banco Central para decidir sobre a taxa Selic é chamado de Comitê de Política Monetária (Copom). Essa reunião ocorre oito vezes por ano, mais ou menos a cada 45 dias.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do Banco Central

http://www.brasil.gov.br/noticias/economia-e-financas/2018/12/banco-central-mantem-selic-no-menor-nivel-da-historia